12/01/2011

3 comunicados, 2 tentativas falhadas e alguma acidez no discurso.

Depois de alguns dias de silêncio acompanhados de algumas tentativas da empresa para apagar comentários publicados por utilizadores do facebook, a empresa decide defender a sua imagem e publica no facebook o primeiro comunicado. Nesse comunicado, a Administração dirige-se formalmente aos seus clientes, para afirmar que rejeita os factos e que está a ser alvo de uma difamação. A pessoa que escreve o comunicado não se identifica e comete um erro que ainda alimenta mais polémica: escreve “Twiter”, erradamente.
Já no segundo comunicado publicado um dia depois, a Ensitel reforça a sua posição de defesa dos seus direitos em sede própria – ou seja nos tribunais, numa acção claramente ameaçadora, que tanto na forma como no conteúdo, reforçam a acidez corrosiva e desesperada da administração que transmitem mais uma vez a vontade de calar os comentários, mas que mais uma vez tem o efeito contrário.

Por fim, num terceiro comunicado, três dias depois da publicação do primeiro, a empresa reconhece o erro de “tentar” limitar a liberdade de expressão e fá-lo com um discurso claramente mais suave e tranquilo, mais familiar e menos formal, para dizer também que iria retirar a acusação contra a cliente e que no futuro estariam mais atentos a situações desta natureza. Finalmente, o caso parece ter razões para encerrar por aqui e de facto, a tempestade de comentários foi terminada pouco a pouco com um reconhecimento generalizado de que esta ultima decisão foi a mais acertada.

1o comunicado | 28 Dezembro - “A Ensitel, Lojas de Comunicações, S.A. (“Ensitel”) está a ser confrontada com um conjunto de declarações divulgadas através das redes sociais Facebook e Twiter, decidindo por isso, apresentar o seguinte breve esclarecimento:
A “Ensitel” não põe minimamente em causa qualquer tipo ou forma de liberdade de expressão, mas repudia, rejeita e não aceita ser alvo de uma autêntica campanha difamatória, assente em factos absolutamente falsos que têm como único intuito denegrir a imagem e boa reputação que a “Ensitel” construiu ao longo de 21 anos, apenas porque o cliente não se conformou com uma decisão judicial que lhe foi desfavorável. Nestes 21 anos de existência, os clientes têm sido e continuarão a ser o maior valor da Ensitel, garantindo a mesma, que todos os seus direitos são preservados e salvaguardados. A Administração”

2º comunicado | 29 Dezembro - “A Ensitel nada mais tem a acrescentar relativamente ao Comunicado que já fez publicar ontem no Facebook, remetendo para o local próprio em qualquer Estado de Direito Democrático, que são os Tribunais, o exercício da defesa dos seus direitos. A Administração.”

3º comunicado | 31 Dezembro - “Nos últimos dias temos ouvido as vossas opiniões. Nunca foi nossa intenção limitar a liberdade de expressão da Maria João Nogueira, mas apenas assegurar a defesa da nossa marca. Mas vemos agora que a nossa atitude não foi a mais adequada e por isso vamos retirar de imediato a acção judicial. Pretendemos também, no futuro, estar mais atentos ao que os nossos clientes dizem online, de modo a podermos assegurar que a vossa experiência com a Ensitel é o mais positiva possível. Nesse sentido estamos a preparar novas maneiras de poderem comunicar connosco, sempre que tenham um problema numa das nossas lojas ou com um dos nossos produtos. Pedro Machado, Responsável de Vendas e Serviço a Clientes”.

Todos os Artigos:

Sem comentários:

Procura uma agência de serviços web?

Procura uma agência de serviços web?
Consulte um parceiro de confiança. Consulte a iesolutions Portugal.

Arquivo...